terça-feira, 8 de abril de 2008

Analfabetismo no Brasil: uma triste realidade que podemos e devemos transformar




É com muito prazer e alegria que abraço essa campanha de combate ao analfabetismo em nosso país promovido pelo blog de Georgia Saia Justa. A educação passa por um período de muita crise em todo o Brasil. Isso é uma dura realidade que devemos encarar não apenas para se lamentar ou criticar o que se anda fazendo ou deixando de fazer na área educacional. Mas é chegada a hora da sociedade amadurecer e compreender que não devemos só cobrar nossos direitos de cidadãos mas também, assumir nossos deveres que tantas vezes esquecemos. É chegado o momento em que precisamos deixar de lado esse nosso comodismo e participar ativamente para que um dia possamos ver todas as crianças e jovens dentro de escolas aprendendo com prazer e tornando-se pessoas dignas e futuros adultos responsáveis para fazer dessa nação, um exemplo positivo para as demais. Quando digo que devemos sair dessa passividade diante dos problemas, eu me incluo também e já tenho me cobrado há algum tempo para dar minha contribuição. Há alguns anos atrás, tive a vontade de desenvolver um trabalho voluntário informatizando e organizando uma biblioteca escolar pública. A experiência não foi boa pois as pessoas que comandavam a escola não tinham uma visão pedagógica de fato e tinham uma imagem bem negativa do que vem a ser uma biblioteca. Infelizmente, o projeto que tinha tudo para dar certo morreu na praia. Foi abortado antes mesmo de se desenvolver e criar corpo. Sem aviso nem consideração com os bibliotecários que se dispuseram a me ajudar, a direção da escola decidiu fechar a biblioteca , a auxiliar que dava uma força foi demitida e os alunos e professores ficaram sem esse importante apoio pedagógico do ensino que é a biblioteca. Na época fiquei muito magoada e frustrada com isso e por um bom tempo não quis mais saber desse tipo de trabalho. Mas hoje observo que, para dar certo, devemos nos unir aqueles que têm o mesmo ideal. Também compreendi que nem sempre as pessoas se encontram preparadas para mudanças. Toda essa história é para ilustrar o que acontece em nosso país. É uma cultura difícil de se mudar pois já se encontra arraigada desde nossa colonização. Mas a educação é algo primordial para que a população se forme, se informe de seus direitos e lute de modo correto. Está mais do que na hora de mudar esse conceito deturpado que nos incutiram de que "o jeitinho brasileiro" sempre dá certo. Acredito que a sociedade está amadurecendo, se transformando e é chegado o momento de união entre todos que pensam de forma semelhante e deseja o melhor para todos. O analfabetismo em todo o nosso país é algo vergonhoso, lamentável e inadmissível nos dias de hoje. Por outro lado, temos também um outro grave problema que são os analfabetos funcionais que hoje são a grande maioria. O percentual de crianças e jovens que lêm mal, não conseguem interpretar um simples texto como uma bula de remédio ou um manual é muito grande e isso acarreta sérios problemas em suas vidas. Mas tudo é passível de solução. Basta que tomemos a decisão de "arregaçar as mangas" e trabalhar para reverter esse quadro. Faço desse espaço, um cantinho para receber propostas, sugestões e dicas de como transformarmos esse problema nacional em algo digno de orgulho para todos. A partir de hoje, passo a fazer parte da Blogagem Coletiva Contra o Analfabetismo e me disponho a procurar formas e recursos para combater esse mal social. E então? Vamos a luta?

3 comentários:

Georgia disse...

Oi Roseli, que texto maravilhoso esse o seu. Obrigada pelo apoio.

Quando eu estava na escola primária a minha escola Instituto de Educacao tinha uma biblioteca. E eu me lembro que os professores se juntaram e fizeram uma peca. Eles pegaram sempre um aluno de cada classe para despertar o interesse e a curiosidade. Eu fui uma que participei e me lembro bem da pecinha. A história se resumia em uma menina que plantava uma árvore. Cada crianca de cada classe era essa menina. Éramos ao menos umas 12 meninas plantando árvore e nós esquecíamos de regá-la e a plantinha morria. Baseado nesse teatrinho a diretora trouxe a palavra de que ler precisa crescer em nós e para que isso aconteca precisamos regar a leitura lendo livros. Desde entao a biblioteca nunca mais ficou vazia.
Acho que vou postar essa historia lá na Saia já que me lembrei.

Entao, arregasse as mangas no seu projeto-escola.

Abracos

Georgia disse...

arregacar, arregace, corrigindo

JoãoMaria Andarilho Utópico disse...

Está anotado. Obrigado pela visita.
Vamos fazer nossa parte valeu. Ainda sou estudante. E aos 7 resolvi fazer o que gosto educação e sala de aula, onde ela for. A educação como está aí no mundo inteiro é uma verdadeira aculturação.
Vamos lutar pela ética, educação, democracia. Valeu.