quinta-feira, 30 de julho de 2015

Divagações de uma bibliotecária


Faz tempo que não escrevo algo pessoal por aqui. Faltou-me tempo, disposição, assunto. Mas como agora decidi reavivar esse espaço. tomo as rédeas de meus escritos sobre bibliotecas e a atuação do profissional fazendo a diferença (ou não) dentro delas.
Farei um breve relato de minhas experiências nas bibliotecas onde trabalhei.
Atuo em biblioteca escolar desde 1991. Lá se vão alguns bons anos de atividades de todo tipo.
Na biblioteca onde tudo começou, iniciei não sabendo absolutamente nada da rotina de uma biblioteca. A bibliotecária que comandava (ou não) aquele mínimo espaço, não primava pela simpatia e também não morria de amores pela profissão abraçada. Nela, refletiu-se tudo aquilo que abominaria pro resto de minha vida nesse profissional. Quando decidi fazer a faculdade, já sabia perfeitamente que tipo de bibliotecária NÃO seria. E segui firme nesse meu propósito e creio, tenho feito bonito nesses anos. Prova disso são meus inúmeros "filhos" postiços que reuni formando uma grande e bonita família.
Sei da importância técnica para registro das obras no acervo. Faço da melhor maneira buscando facilitar ao máximo a pesquisa dos assuntos para os usuários da biblioteca. No entanto, o que mais prezo é o contato olho no olho, sorriso estampado, abraço muitas vezes mais demorado naquele que me procura.
Já auxiliei muitos alunos em suas pesquisas e formação. A alegria que sinto quando vêm até mim com um sorriso sincero estampado no rosto trazer seu trabalho pronto e com notas máximas, agradecendo todo apoio que lhes dei, sinto-me compensada e com a certeza de que estou no caminho certo.
Conquistei e fortaleci muitas amizades através desse convívio escolar. Alunos no passado, hoje, profissionais nas mais diversas áreas: médicos, dentistas, atores, engenheiros, diretores de cinema, advogados. E amigos!!
Na fala da professora Elisa Correa no XXVI CBBD, ela falou muito em conexões.
Ao ouvi-la, senti um prazer imenso aos constatar que desde a década de noventa já venho trabalhando com tais conexões. E sei o quanto isso funciona.
E cada vez que ouço profissionais de biblioteca dizendo que gostam da paz de suas bibliotecas vazias, penso:

"Biblioteca boa é biblioteca cheia de pessoas e com barulho. O verdadeiro espírito de uma biblioteca não são os livros dormindo nas estantes mas sim, as pessoas que por ela passam e deixam suas marcas."

Quero mais é ver minha biblioteca lotada e com vida! O resto, é questão de orientação, sorrisos estampados nos rostos dos profissionais e amor por aquilo que se faz.

8 comentários:

Clara Lucia disse...

Me lembrei do tempo em que frequentava bibliotecas e de ficar apaixonada pelos livros todos enfileirados e empoeirados, e também da cara fechada da moça que pegava os livros pra nós. Não podíamos dar nenhum pio que ela já ralhava com a gente. Nem barulho no assoalho velho podíamos fazer barulho enquanto caminhávamos. Bons tempos...
Roseli, amiga, parabéns pela excelente escolha e por agregar tudo isso a sua vida.
Beijos"

Roseli Venancio Pedroso disse...

Clara que depoimento bonito o seu. Todos temos experiências não muito boas das raras bibliotecas que frequentamos no passado.Fico feliz e com a consciênia tranquila em fazer o oposto dessas antigas profissionais. Esse perfil não condiz mais com o momento em que vivemos.O ambiente da biblioteca escolar deve ser leve, alegre e dinâmico. Obrigada pela visita e comentário Clara!
Bjs

Jaime disse...

Muito interessante o seu blog. Parabéns Roseli. Na primeira vez que entrei em uma biblioteca levado por meu pai, eu fiquei encantado por aquele número enorme de livros e eu poderia levar qualquer um. Eu fiquei algumas horas foleando os livros enquanto meu pai trabalhava e quando meu veio me buscar eu havia escolhido 2 exemplares que levamos para a funcionária que me atendeu tão bem, tornando a minha experiência mais inesquecível ainda. Hoje sou um profissional da informação, formado em biblioteconomia, sem jamais esquecer aquele primeiro encanto que me deixou apaixonado pela profissão que exerço hoje. Beijos.

Roseli Venancio Pedroso disse...

Que felicidade saber que sua primeira experiência teve alguém que soube trabalhar! Infelizmente sabemos que na maioria das vezes não é bem assim. Percebeu o quanto foi fundamental ter o acompanhamento dessa profissional? É isso que devemos despertar nas pessoas. Em especial nas crianças que ainda estão moldáveis para o mundo. Seja muito bem vindo Jaime, a esse cantinho meu. Compareça sempre que quiser.
Bjs

Soraia Magalhães disse...

Adorei! Compartilho da ideia de bibliotecas com vida, pessoas, sons. Se possível espaços reservados para leituras silenciosas e acima de tudo bibliotecas para atender a todos!

Roseli Venancio Pedroso disse...

Soraia que maravilha você por aqui! Obrigada pela visita e apareça sempre pois é como disse: Biblioteca é vida! Quero mais é ver todas lotadas de pessoas. Bjs

Andreza Gonçalves disse...

Que bom ter encontrado o seu blog!
Continue sempre a nós escrever , o encontrei hoje mas já assino o meu contrato de fidelidade!
Beijos. ...

Roseli Venancio Pedroso disse...

Desculpe a demora em responder Andreza. Havia perdido a senha rsrs
Grata pela visita e fico feliz que tenha gostado desse espaço. Apareça sempre!
Bjs