segunda-feira, 9 de março de 2009

Inclusão social - Blogagem coletiva



É com um enorme prazer que recebi o convite e aceitei de imediato participar dessa blogagem coletiva feita pela nossa amiga virtual Esther, do blog Esterança

Atualmente um assunto que sempre vem à baila em qualquer roda de conversa é a inclusão social. Desde que o homem surgiu na Terra e começou a viver em sociedade, vemos o forte se sobressair sobre o mais fraco e o mais rico ter mais vantagens sobre o mais pobre. Isso nunca foi novidade e até bem pouco tempo fazia parte da normalidade da vida de todos. Sempre se teve a errônea idéia de que isso era "problema do governo e não nosso". Contudo, nas últimas décadas, mais e mais pessoas estão se conscientizando que todos sem excessão, têm direito a viver bem, tendo estudo e chances de bons empregos e demais comodidades que a vida moderna possa oferecer a todos. Me enquadro nesse grupo pois acho inconcebivel que ainda hoje em pleno meados de século 21 ainda tenha tantas e tantas pessoas vivendo às margens da sociedade, sobrevivendo de migalhas que os demais possam deixar. A miséria humana é uma vergonha em qualquer sociedade que se diga "humana" e consciente dos direitos humanos inerentes a todos.

Lemos jornais, assistimos aos noticiários na TV, navegamos pela internet em busca de informações do mundo e nos chocamos cada vez que deparamos com a miséria e a forma indigna de tantos e tantos indivíduos - seja na África, Oriente Médio, Ásia. No entanto, vivemos pacificamente com a miséria bem ao nosso lado em nosso dia-a-dia. Aqui no Brasil, esse imenso país continente, com excessão das grandes metrópolis, o quadro que temos é de comunidades vivendo abaixo da pobreza, sem perspectivas de melhora, sem estudo, sem estrutura mínima de uma vida mais confortável.


Trabalhando na área educacional há 18 anos, cada vez mais me conscientizo que somente através da educação - da boa educação - é que poderemos modificar esse quadro que ainda está tão longe do ideal. Porisso focarei mais na inclusão escolar.

De acordo com a Declaração de Salamanca, "toda criança tem o direito fundamental a educação e deve ter a oportunidade de atingir e manter o nível adequado de aprendizagem".Tudo muito bonito, políticamente correto mas...tão distante da realidade...

As escolas foram obrigadas a acatar essa lei de inclusão mas pouquíssimas se prepararam e instruiram seu quadro de funcionários (administrativo e pedagógico) para receberem todas as crianças e jovens com deficiências. As próprias faculdades de pedagogia não estão preparadas nem preparam seus alunos - futuros pedagogos - a entender as diversas deficiências físicas e mentais e, principalmente a superarem qualquer tipo de preconceito que por ventura tenham.

Aliás, o preconceito e a discriminação é algo que tem que ser trabalhado, esclarecido e combatido em toda a sociedade para que assim, a educação seja purificada desse mal e possam formar futuros cidadãos sem nenhum ranço de preconceito.

Falando dessa maneira, pode até parecer a primeira vista que sou uma sonhadora, utópica mas não se trata disso de jeito nenhum. Observando os vários países que se encontram numa condição de excelência, observamos que só mudaram seu quadro após investirem de forma massiva na educação. Acompanhe meu raciocínio: Investindo na educação, em poucos anos teremos jovens bem instruidos, cultos e com condições de enfrentarem um mercado de trabalho que está cada vez mais seletivo. Isso faz parte de uma corrente e de um efeito dominó. Pessoas instruidas, pessoas em condição de exercerem cargos importantes em vários pontos de uma sociedade. Pessoas instruidas, pessoas conscientes de sua condição de cidadão, cônscias de seus direitos e deveres. Concordo que não é fácil mudar uma cultura que já perdura desde a colonização mas, é chegado uma hora em que se deve crescer e já está mais do que na hora da sociedade brasileira sair dessa já espichada "adolescência" e partir para uma fase adulta, responsável e ativa. E a educação se insere nisso.

7 comentários:

Christi... disse...

Muito bacana sua abordagem de inclusão social, educação, respeito e informação para mudar as situações.

Abraços,
Chris

Compondo o olhar ... disse...

lindo seu texto!!! só a informação e a educação pode mudar tudo isso q estamos cansados de verificar todos os dias. parabens pelo seu post.

abraços

tbm estou participando, dá uma olhadinha lá.

Fatima Cristina (www.fccdp.com) disse...

Com certeza um povo educado evita o sofrimento de vários problemas sociais. Também vejo a educação como ponto de partida da inclusão social. Espero ainda viver o dia em que o acesso as oportunidades da vida chegue a TODAS as pessoas, com igualdade de direitos e benefícios.
Abraços, Fatima

Anônimo disse...

Congratulações, seu texto está excelente!

Beijão
Ricardo

Mírian Mondon disse...

Roseli!!! Obrigada pela visita, que bom que gostou do café rs é para voce!
Que espaço gostoso voce tem aqui, pode ter certeza que voltarei para conhecer melhor.
Voce nao achou interessante que postamos a mesma foto na nossa blogagem? Mas as coicidencias nao param por ai, concordo com voce, a educaçao é a o pricipal arma contra a exclusão!

Parabens!!!

€ster disse...

Parabéns querida pela sua excelente postagem!

Gostei muito, vc foi brilhante!


Obrigada pela sua linda participação!


bjs,

disse...

Olá! Que mundo vasto esse da blogagem coletiva, são tantos textos maravilhosos que tenho lido. O seu é mais um deles e, muito oportunamente o fez, considerando a educação o melhor caminho para aprendermos a lidar com as diferenças. Seu blog é muito bacana, quero visitá-lo mais sempre que puder. Parabéns! Bjins e até!