quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Professoras, professores (Ana Miranda)

Num momento em que a comunidade de professores passam por um momento difícil no país, onde a sociedade na sua maioria não dá a importância e o respeito necessário a esse profissional, eis que me deparo com um texto tão belo, comovente e verdadeiro como esse que acabei de ler e que disponibilizo aqui pois deve ser do conhecimento de todos e não somente de alguns. Chegou agora pouco o exemplar da revista Carta na Escola aliás, é importante que todos os professores tenham contato com essa revista que é uma "mão na roda" para o preparo de uma aula. Então, voltando ao que falava, ao pegar essa revista para registra-la no acervo, como sempre costumo fazer, comecei a ler de trás pra frente (esse é um velho hábito meu). E logo de cara na última página da revista, tem Carta ao Professor e sua autora é a escritora Ana Miranda. Professores, leiam essa declaração ao professor que ela faz aqui. Mesmo não sendo professora, mas justamente por conviver com vocês diariamente e acompanhar o quanto vocês apanham para dar conta do dever, é que me emocionei e divido aqui com vocês. Ah! se todos pensassem assim!
Aproveito para fazer uma propaganda gratuita da revista que nessa edição em especial está muito boa! Faço aqui minhas palavras o que a Ana Miranda escreveu e rendo assim, minhas homenagens a todos vocês. Leia na íntegra

3 comentários:

Fernandão disse...

Querida Roseli,
Esta “variedade humana” a que ela se refere é que na realmente faz a grande diferença entre a escola de antigamente e a de hoje.
Lembro-me que para ingressar no “Colégio Estadual” aqui de Muriaé tínhamos que fazer verdadeiro vestibular e, pouca escola, maior seleção de professores.
Além desta “lei de oferta e procura”, talvez a grande diferença agora seja a consciência social de que quando aperfeiçoamos os alunos de uma sala heterogênea, estamos melhorando a sociedade como um todo.
O que temos a fazer é viver o nosso tempo, arregaçar as mangas e nos preparar bastante para a lida nesta imensa seara.
Sei que dou o melhor de mim, mas ainda assim sempre fica a sensação de que está faltando alguma coisa (muita coisa).
Beijos fraternos

Josete disse...

Oi Roseli!
Passei para agradecer pelo incentivo quanto ao Mestrado e também dizer que ainda não fiz a matrícula, pois estou com uma porção de dúvidas em relação ao reconhecimento do certificado. Quanto ao curso, ele é totalmente a distancia...Só precisarei ir a Lisboa final de 2010 para defender!
Se prepare, se eu for mesmo, já estás convidada!
Bom, esse texto sobre professores me interessa bastante. Obrigada por indicá-lo! Bjs,
Josete

Suely disse...

Oi, Roseli!

Amo a Ana Miranda! Tanto que, como não achei na web, postei um texto dela: "Ausência do livro".

Eu também tive professoras que me tiraram o medo do papel em branco e que fizeram me apaixonar pelo texto litarário! Em especial, me lembro da Luiza Carravetta... depois de ser aluna dela, fiquei tão envolvida com o jeito das aulas dela, não pude resistir, deixei o curso de jornalismo e me dediquei às letras. Até hoje, mais de vinte anos passados, busco ser como a Luiza: uma apaixonada pela palavra!

Abraços!